d e s i g n e r. Do contemporâneo pós moderno: aquele que desenvolve projetos. No Brasil, é um termo que pouca gente sabe o que significa e quiçá poderia ser diferente, pois nem sequer é um termo de nossa língua. Por isso que uma apresentação inicial prevê a desmistificação de um fato: os designers não são necessariamente hipsters com um café na mão e um chapéu descolado, mas simplesmente aqueles que projetam e trabalham para estruturar o mundo no qual vivemos. E dentre tantos tipos de designers, eu seria daquelas que trabalham com comunicação, cuja função é estruturar projetos para que ideias sejam veiculadas cotidianamente.

E faço isso há mais de uma década. Nesse período desenvolvi um estilo pessoal marcado pelo traço objetivo, amparada na concepção minimalista de que o essencial deve ser priorizado em detrimento do resto. E isso é o que fundamenta meu trabalho, se refletindo em cada projeto que crio.